PROGRAMA CÃO DE GADO
GRUPO LOBO

O Grupo Lobo é uma associação não-governamental de ambiente, independente e sem fins lucrativos, reconhecida com o Estatuto de Utilidade Pública. Fundado em 1985, tem por missão trabalhar em prol da conservação do lobo e do seu ecossistema em Portugal, desenvolvendo esforços para estabelecer as condições legais, ecológicas e socioeconómicas indispensáveis à conservação efetiva da população lupina. Para além de estudos científicos sobre a espécie e de um programa de educação e sensibilização ambiental, pretendendo fomentar o conhecimento sobre o lobo, em particular junto do público escolar, desenvolve ações de conservação aplicada para facilitar a coexistência das comunidades rurais com o lobo.

Uma das principais causas de ameaça à sobrevivência da espécie são os conflitos com o Homem, que resultam, essencialmente, dos prejuízos económicos que o lobo causa nos animais domésticos, de que é forçado a alimentar-se devido à escassez das suas presas silvestres, como o corço ou o veado. O uso de cães de gado para proteger os animais domésticos dos ataques de predadores faz parte do sistema tradicional de pastoreio na bacia Mediterrânica. Em virtude da sua eficácia e facilidade de aplicação, o uso destes cães tem sido promovido no âmbito de ações de conservação de vários predadores ameaçados, como é o caso do lobo.

Em Portugal, o Grupo Lobo delineou em 1987 uma linha de ação que visa recuperar e promover a correta utilização desses cães, pertencentes a raças nacionais, como uma forma de melhorar a proteção do gado e assim reduzir os conflitos com o lobo, contribuindo ativamente para a conservação deste predador em Portugal.

O Programa Cão de Gado , que o Grupo Lobo desenvolve efetivamente desde 1996, já apoiou cerca de 400 produtores pecuários em toda a área de distribuição do lobo, tendo entregue perto de 700 cães das quatro raças nacionais: o Cão da Serra da Estrela (pelo curto e pelo comprido), o Cão de Castro Laboreiro, o Rafeiro do Alentejo e o Cão de Gado Transmontano.

Numa primeira fase são selecionados os produtores a envolver no projeto e os cachorros. Estes são depois colocados junto com o gado, desde os 2 meses de idade (após o desmame e as primeiras vacinas), para estabelecerem os laços sociais necessários para que possam proteger o gado quando crescerem. Desde essa altura, os cães são acompanhados regularmente pela equipa do Grupo Lobo e, quando atingem a idade adulta, pelos 18-24 meses de idade, são avaliados. Os resultados obtidos confirmam uma eficácia elevada, com uma diminuição geral dos prejuízos (em número de ataques e de animais afetados), uma avaliação muito positiva do desempenho dos cães por parte dos técnicos e dos produtores envolvidos, que revelam ainda uma grande satisfação com os seus cães.

Um dos aspetos que caracteriza este Programa é o apoio prestado aos produtores pecuários, a vários níveis (p.ex., aspetos técnicos e legais, gestão da reprodução e registos, cuidados veterinários e alimentação dos cães), bem como o acompanhamento do desenvolvimento físico e comportamental dos cães, assegurando sempre o seu bem-estar. Isto permite aumentar a eficácia dos cães, corrigindo a tempo eventuais problemas comportamentais e adaptando os sistemas de maneio e, ainda, reduzir a sua mortalidade. Permite, também, estabelecer uma relação de maior confiança com os produtores, que é fundamental para potenciar o sucesso e a expansão do Programa e contribuir para uma melhor coexistência com o lobo.

No âmbito do Programa Cão de Gado implementaram-se diversas linhas de investigação sobre diversos aspetos relacionados com o seu uso e as raças de cães de gado, nomeadamente, estudos demográficos, genealógicos, morfológicos, genéticos e comportamentais. Estes estudos têm permitido obter informação de grande utilidade para uma melhor gestão e compreensão dos mecanismos que influenciam a eficiência destes cães.

É de referir, ainda, a colaboração com outros projetos, equipas de investigação e organizações de conservação, que nalguns casos resultou na seleção e no envio de exemplares das raças nacionais para outros países. São também desenvolvidas iniciativas de promoção do ecoturismo, focando não apenas o património natural e cultural associado ao lobo e à pastorícia, mas envolvendo os cães e os produtores pecuários que colaboram no Programa, beneficiando a comunidade local e proporcionando experiências únicas aos turistas participantes.

Paralelamente, o Programa Cão de Gado tem contribuído para a valorização e conservação das raças nacionais de cães de gado, algumas delas também ameaçadas. Neste âmbito, destaca-se a promoção e o apoio ao registo de exemplares no Livro de Origens Português/Registo Inicial (realizando exames de raça e testes de paternidade, sempre que necessário) e também a colaboração com canicultores, Clubes das raças e com o Clube Português de Canicultura. Há ainda a referir a participação em exposições, concursos e mostras caninas, para dar a conhecer as raças e os exemplares usados na proteção do gado.

Para além do contributo para a conservação do lobo e das raças caninas, o Programa Cão de Gado tem contribuído para: sensibilizar os criadores de gado para o bem-estar dos cães de gado; promover a sua correta utilização e o seu reconhecimento como um método eficaz de proteção do gado; e maximizar a rentabilidade dos sistemas extensivos de produção pecuária, nomeadamente os mais tradicionais, preservando as raças autóctones de gado que frequentemente lhe estão mais associadas.

Para que os cães de gado continuem a ser uma mais-valia na conservação do lobo é importante criar condições que promovam a sua utilização de forma eficaz pelos produtores pecuários, em particular: dando apoio técnico e económico adequado; criando um estatuto e enquadramento legal que tenha em consideração a especificidade da função destes cães; sensibilizando a sociedade para a sua importante função, nomeadamente os turistas que percorrem as áreas de pastagem onde estes cães são usados para proteger o gado; estabelecendo um sistema de certificação da qualidade (eficácia) destes cães; e valorizando as raças nacionais – não é de mais salientar a correlação entre a conservação do lobo e das raças nacionais de cães de gado, que facilitam a coexistência entre o predador e as comunidades rurais.

WordPress Cookie Notice by Real Cookie Banner